[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 30 de março de 2020

CEO da Altice Portugal à TVI

“Temos de criar medidas que combatam o desemprego, injetando liquidez na economia, garantindo que o sistema financeiro está, ele próprio, suportado em garantias do próprio Estado para o setor financeiro e que possa fazer empréstimos, possa garantir liquidez às empresas.”

Em entrevista à TVI, Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal, abordou os temas-chave com os quais as pessoas, as empresas e o país se defrontarão nos tempos difíceis que vivemos: “Há uma coisa muito importante: tem-se falado de dar dinheiro às pessoas e às famílias. É importante mas eu diria que temos de dar dinheiro às pessoas e às famílias em situação de desemprego – então temos de apostar em não criar esse desemprego. Temos de criar medidas que combatam o desemprego.”
Socorrendo-se do exemplo da Altice Portugal (que engloba um universo de cerca de 20 mil colaboradores, dos quais 7500 são colaboradores diretos) garantiu que a sua preocupação “tem sido a segurança e a manutenção do posto de trabalho destes 7.500 colaboradores, e essa está assegurada neste momento. 
Não há nada que faça indicar o contrário, antes pelo contrário, mas sim o reforço do nosso compromisso com esses colaboradores. Agora, obviamente, a redução que temos do ponto de vista comercial, leva-nos a que haja uma adaptação da estrutura de custos, e a que temos de olhar para os parceiros externos, para aqueles que não são colaboradores da Altice Portugal e vamos, neste momento, de forma tranquila, ajustar a estrutura de custos do ponto de vista daquilo que são os custos externos. Mas aliás, como estamos a fazer com outros custos, por exemplo com os investimentos, temos que fazer investimentos de rede para garantir que as redes suportam aqueles crescimentos, mas não estamos a fazer investimentos de rede estratégicos em novos negócios, num momento em que não sabemos o que vai acontecer.” Ler + (...)

Sem comentários: