[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quinta-feira, 9 de abril de 2020

AGENDA 2030 para o desenvolvimento sustentável comprometida?


Parece irrealista indagar, em meio à crise reinante, se a AGENDA 2030 para o desenvolvimento sustentável se acha comprometida.

Os rombos que se antevêem na economia global constituem resposta cabal às questões que neste particular se vierem a suscitar.
No que ao consumo sustentável importa, objectivos marcantes se lhe assinam, a saber,
– “o uso de produtos e serviços que satisfaçam necessidades básicas e proporcionem uma melhor qualidade de vida, diminuindo, consequentemente,
– os recursos naturais e o emprego de materiais tóxicos
– a geração de resíduos e a emissão de poluentes durante o ciclo de vida do produto ou do serviço de modo a não pôr em risco as necessidades das futuras gerações”.
De acordo com os estudos desenvolvidos pelo “European Environmental Bureau”, o tempo de vida útil de um smartphone, a título de exemplo, para que se pudesse dizer em relativo equilíbrio com os ciclos naturais e humanos de reposição de recursos, deveria situar-se entre os 25 e os 232 anos.
O tempo de vida útil de um “smartphone” é, nos tempos que correm, de 3 anos.
Os custos ambientais e económicos desta discrepância são gigantescos e incomportáveis. Ler + (...)

Sem comentários: