[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

quinta-feira, 16 de abril de 2020

É de fugir delas, de situações como estas





De um comentário do jornalista Luís Osório, colhido nas redes sociais e que, com a devida vénia, ousamos transcrever, conferindo-lhe o realce devido e louvando-o pelo texto, de uma enorme grandeza, a despeito da sua minúscula extensão:


“Fui dos primeiros clientes, mas já estavam muitos à espera.
Um velhote entra à minha frente, está sozinho e parece envergonhado com os olhares à sua volta.
O velhote, sempre de cabeça baixa, dirige-se à padaria, o lugar para onde também fui.
Compra quatro carcaças.
Sigo a minha vida e, uns minutos depois, dei por várias pessoas falarem mais alto.
Percebo que o criticam – “o senhor devia estar em casa”, “o senhor vem ao supermercado tirar a vez de outras pessoas e só leva pão”.
O velhote não conseguiu aguentar o seu silêncio, a sua vergonha.
Respondeu sem elevar a voz: “Mas é o que vou comer hoje e amanhã e não há mais padarias à volta. Peço desculpa”.
Pagou as quatro carcaças e saiu, sempre de cabeça baixa.
Como eu… assim que pude.”
Quando a preparação, o estilo, a atitude afinam por tal diapasão, o que dizer?
A sociedade não é tecida de leis. Mas de laços de dignidade, de respeito, de humanidade, de consideração! Ler + (...)

Sem comentários: