[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Decisão de estender moratórias deve ser tomada até junho

O governador do Banco de Portugal avisou hoje que a decisão de estender as moratórias dos pagamentos dos créditos tem de ser tomada até junho, para que esses empréstimos bancários não sejam considerados como estando em incumprimento.

Já em final de abril, Carlos Costa tinha dito, numa audição no parlamento, que as moratórias devem ser estendidas - pela lei atual terminam em setembro-, vincando hoje que tal deve ser feito para "evitar o efeito princípio", uma vez que a maioria dos clientes não terá já em outubro capacidade de reembolsar a dívida aos bancos.
Além disso, alertou hoje na videoconferência organizada pela sociedade Abreu Advogados, essa decisão tem de ser tomada até junho "porque senão ficamos dependentes da aceitação da Autoridade Bancária Europeia dessas moratórias para efeitos de tratamento contabilístico", uma vez que normalmente levariam à constituição de provisões para crédito malparado.
"Temos de antecipar o risco de essas medidas chegarem ao seu termo e temos de estar preparados", afirmou.
Desde final de março está em vigor a lei que permite a suspensão dos pagamentos das prestações de créditos à habitação e créditos de empresas (capital e/ou juros) por seis meses, de abril a setembro, estando a ser estudada pelo Governo a hipótese de essas moratórias serem estendidas. Ler + (...)

Sem comentários: