[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

segunda-feira, 8 de junho de 2020

Prestação da casa aumenta 1,2% em abril

Governo estendeu por mais seis meses período de vigência da moratória que permite suspender o pagamento das prestações. Quando retomarem o pagamento da prestação da casa esta será 1,2% mais elevada. 

As famílias afetadas pela pandemia que recorreram à moratória do Estado, vão gozar de um fôlego adicional nos encargos com o crédito da casa. O Governo decidiu estender por mais seis meses, para o total de um ano, o período de vigência da moratória que permite suspender o pagamento das prestações. Esse alívio durará assim até ao final de março do próximo ano, mas terá um custo já que irá refletir-se em encargos mais elevados findo esse regime. A retoma dos pagamentos, em abril do próximo ano, engordará a prestação da casa em 1,2% face ao valor que vigorava antes da pandemia.
Quando o Governo anunciou a 26 de março a criação de uma moratória pública até final de setembro deste ano, tanto das empresas como da habitação, divulgou também um conjunto de simulações ilustrativas do alívio de encargos que a medida permitiria. Ler + (...)

Sem comentários: