[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

terça-feira, 7 de julho de 2020

Portugal comprou centenas de milhares de máscaras sem garantia de qualidade

Segundo dados da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), já foram apreendidas 627 mil máscaras FFP por não obedecerem “aos requisitos de normalização”
Com a pandemia, a venda de máscaras disparou por toda a Europa. No meio da confusão, houve muitas empresas de certificação sem competência para avaliar estas máscaras a emitiram documentos a “comprovar” a qualidade das mesmas, revela o “Público” esta terça-feira.
Estas máscaras sem certificação acabaram por ser adquiridas por várias instituições públicas, nomeadamente hospitais, a Marinha, autarquias e a Direcção-Geral da Saúde (DGS). Posteriormente, foram apreendidas e Portugal não foi exceção.
Segundo dados cedidos pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) ao jornal, já foram apreendidas 627 mil máscaras FFP por não obedecerem “aos requisitos de normalização”.
De acordo com os dados disponibilizados no site dos contratos públicos, entre 2 de março e 5 de junho, as instituições públicas fizeram 232 contratos para a compra de máscaras FFP2 e FFP3, também conhecidas como respiradores. Ler + (...)

Sem comentários: