[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Portugal e Espanha dizem adeus ao carvão. Hídrica, eólica e gás natural no pódio das fontes de energia

No mix energético nacional domina agora a energia hídrica (36%), seguida da eólica (25%), gás natural (20%), cogeração fóssil (9,9%), biomassa (6,8%) e solar (2,6%).

 Ocarvão já começa a ser uma raridade na Península Ibérica. De acordo com o mais recente relatório da tecnológica Schneider Electric sobre o mercado energético ibérico, tanto em Portugal como em Espanha a produção de eletricidade a partir da queima de carvão “reduziu-se praticamente para zero”, uma tendência que marcou os primeiros seis meses do ano e que se deve principalmente aos “baixos preços do gás e aos elevados preços das emissões de CO2”.

Os dois países já se tinham comprometido a encerrar todas as centrais a carvão nos próximos 3 anos, até 2023, mas o processo acelerou-se já no primeiro semestre de 2020. Em Portugal, apenas 0,5% da produção de eletricidade no país teve como origem o carvão entre janeiro e junho de 2020, de acordo com o boletim de renováveis da APRE. No mix energético nacional domina agora a energia hídrica (36%), seguida da eólica (25%), gás natural (20%), cogeração fóssil (9,9%), biomassa (6,8%) e solar (2,6%). Ler + (...)

Sem comentários: