[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

A prestimosa TAP, companhia de bandeira, a eficiente TAP, em que campeia insuperável bandalheira, a generosa TAP, portentosa carpideira de mão estendida ao erário


“Fiz uma reserva de viagem para  o voo TP1866, entre Ponta Delgada e o Porto para o passado dia 16 de Setembro.

 Como não realizaram o voo, pedi o cancelamento e, por não me terem dado a alternativa de reembolso e ter pressa na resolução do caso, aceitei a opção da emissão de “vouchers”.

 O valor pago pelas passagens foi de 200,94 €, pelo que teria direito à emissão de dois vouchers no valor de 100,47 € cada um.

 No entanto, a TAP, generosa, emitiu dois “vouchers” com o valor nominal de 12,47 €!!!

 Reclamei a 20 de Agosto e a 25 de Agosto, continuando sem qualquer resposta.

 É praticamente impossível contactar a TAP pelos meios que dizem disponibilizar, isto é, por telefone.

 Já estive cerca de uma hora a ouvir música sem qualquer resultado.

 Isto mexe com a dignidade das pessoas.

 Ou é algo de normal, sem consequências, que como normal teremos de aceitar?

 Como proceder para fazer valer os meus direitos?

 Teoricamente são só facilidades. Na prática é o que se vê!”

 Consumidor identificado

 Ponta Delgada

Sem comentários: