[ Diretor: Mário Frota [ Coordenador Editorial: José Carlos Fernandes Pereira [ Fundado em 30-11-1999 [ Edição III [ Ano XII

sexta-feira, 2 de outubro de 2020

FRANCA DEGRADAÇÃO


FRANCA DEGRADAÇÃO

dos conteúdos dos canais inseridos nos pacotes dos distintos operadores

Repetições à Exaustão,
Publicidade a Rodos e a prejudicar a sequência fílmica, Desrespeito Sem Conta Nem Peso nem Medida...

E o consumidor paga sem tugir… nem mugir!

Os canais constantes dos pacotes de cada um dos operadores de comunicações electrónicas são uma nódoa.
Os consumidores estão mal servidos.

A clamorosa ausência de programas d
e substituição (o que constitui autêntico logro) leva a que se repita de forma inusitada as apresentações (vezes sucessivas, dias sucessivos…) o que ilude os consumidores e lhes coarcta direitos que os contratos de modo implícito ou explícito conferem.

A publicidade nos filmes mais que batidos (que passa abundantemente com sucessivos cortes na sequência das imagens) outra pecha.

Os consumidores estão a ser mal servidos.

O cumprimento defeituoso das obrigações assumidas pelas operadoras de comunicações (que oferecem os pacotes à contratação) uma evidência.

Os consumidores pagam duplamente os canais generalistas.
Porque sujeitos à contribuição para o audiovisual e a pagar os mesmos canais enxertados na oferta global.

Fazem dos consumidores autênticos piões das nicas!

Uma vergonha! Uma rematada vergonha!

Que haja quem ponho cobro nisto.

 

ACOP - Associação de Consumidores de Portugal

Sem comentários: